Pesquisas quantitativas e qualitativas: entenda a diferença

Vector data analytics concept in flat style - big data development

Independentemente do cenário no qual se encontra inserida, toda empresa deve conhecer melhor o seu setor, o seu cliente e a sua própria realidade. Fazer isso não é tarefa simples e, por isso mesmo, existem diversas formas de análise e obtenção de dados. Dentro desse contexto, utilizar a metodologia correta é essencial. Dependendo do objetivo prioritário do empreendimento, os gestores podem optar entre pesquisas quantitativas e qualitativas.

Quer entender a diferença entre elas? Então confira o post a seguir:

Pesquisa qualitativa

Uma das grandes diferenças é que a pesquisa qualitativa possui um caráter exploratório. Isso quer dizer que o pesquisador não só obterá números, mas também estimulará nos entrevistados o pensamento e a reflexão sobre o tema abordado nas perguntas.

Ela se vale de aspectos subjetivos e permite a interpretação, sendo essa uma de suas principais vantagens, pois ela consegue buscar uma percepção e um entendimento maior sobre a natureza geral de determinada questão.

Isso pode ser feito através de discussões em grupo, entrevistas em profundidade, mesas redondas, entre outros. Normalmente, cria-se um roteiro e há gravação para posterior análise.

Já sua principal desvantagem está exatamente em seu caráter detalhado: o número de entrevistados pode acabar sendo pequeno e impedir uma projeção mais acurada do público-alvo.

Além disso, como ela é interpretativa, a opinião e o julgamento do entrevistador pode atrapalhar a análise dos resultados. Outra questão é que, como envolve o questionário e exige um período mais extenso para ser feita, ela pode demorar muito para apresentar os dados e informações desejadas.

Pesquisa quantitativa

A pesquisa quantitativa, como o próprio nome diz, considera exclusivamente o que pode ser quantificado. Através de um número determinado, o pesquisador tentará traduzir os dados, as informações e as opiniões para análise e classificação.

Essa é uma das principais diferenças entre pesquisas quantitativas e qualitativas: enquanto a primeira depende de um questionário elaborado e extenso, a segunda se baseia mais em técnicas e recursos estatísticos, o que a torna dinâmica e mais rápida de ser feita.

Outro ponto positivo é que essa agilidade normalmente permite obter uma amostra maior e uma apreciação mais rápida, visto que é preciso apenas quantificar e não interpretar a opinião do pesquisado. Mas isso também pode ser encarado como um aspecto negativo, pois essa alternativa exige um número maior de pesquisados para garantir exatidão nos resultados.

O questionário utilizado é padronizado e uniforme, com questões bem claras e, acima de tudo, objetivas, posteriormente demonstradas em tabelas e percentuais gráficos. É importante avaliar cada caso de forma específica para definir o melhor método a ser utilizado, bem como se esforçar para que ele garanta resultados mais eficientes.

Um dos problemas dessa opção é o risco de generalizar os dados, pois como não há opinião individual, existe uma grande dependência de um exame bem-feito por parte do entrevistador para minimizar distorções e interpretações errôneas.

E então, entendeu as diferenças entre pesquisas quantitativas e qualitativas? Ambas possuem prós e contras, mas o fato é que as duas são complementares para se obter um resultado completo.

A Tracksale faz o monitoramento da satisfação de clientes com a metodologia do NPS, o que possibilita a apuração de dados quantitativos – com o cálculo do NPS baseado na nota de 0 a 10 – e qualitativo, com o comentário do seu cliente sobre sua experiência.

Conheça mais sobre a ferramenta Tracksale e como podemos ajudá-lo a planejar muito melhor o futuro do seu negócio!