6 perguntas essenciais em uma pesquisa de clima organizacional

6 perguntas essenciais em uma pesquisa de clima organizacional

Você está satisfeito com o seu trabalho? Acredite, para as empresas que contratam uma pesquisa de clima organizacional, sua resposta importa, e muito, para o sucesso da organização.

Essa pesquisa, que faz parte da carta de serviços de uma consultoria em RH, é uma importante ferramenta geradora de dados concretos sobre o status de satisfação dos funcionários e a forma como ele determina os rumos da empresa perante o mercado. A partir de resultados tabulados, os gestores passam a ter mais fundamentos para tomar decisões em benefício da empresa e, claro, do seu quadro de funcionários.

Mas o que perguntar? O questionário varia muito de acordo com a cultura organizacional e a natureza do negócio, mas algumas perguntas são básicas, como você verá a seguir:

O ambiente de trabalho é bom?

A resposta quanto ao ambiente de trabalho é a principal de toda e qualquer pesquisa. É aqui que os funcionários devem abrir o verbo quanto a fatores que lhes incomodam no dia e dia e que, normalmente, passam despercebidos pela diretoria. A insatisfação pode surgir de itens triviais, como falta de ar condicionado, ou de relações pessoais: chefe rude, conversas excessivas e má educação.

Cite (X) fatores de motivação e desmotivação.

Para que o questionário não se torne um “confessionário” e acabe gerando resultados superficiais, é preciso nortear as respostas para o aspecto prático. O pedido de “citações” é muito eficiente nesse sentido, pois estimula o entrevistado a sintetizar o pensamento, o que também facilita a amostragem. Por exemplo: (10) funcionários responderam que o salário baixo é um fator de desmotivação.

Você é ouvido?

Se a comunicação fluísse dentro da empresa, talvez uma pesquisa de clima organizacional fosse dispensável. Afinal, a pesquisa nada mais é do que um substituto científico do diálogo construtivo entre a organização e seus funcionários. Um cenário ideal — que pessimistas acreditam ser “utópico” — é aquele na qual a comunicação é bilateral, ou seja, um funcionário tanto ouve quanto é ouvido pelos superiores, sem medo de represálias.

Os chefes sabem delegar tarefas?

Por medo de retaliações, funcionários evitam reclamar de eventuais falhas dos chefes diretos, o que geralmente leva à ilusão de que está tudo bem. A pesquisa de clima organizacional é eficaz ao detectar essa insatisfação quanto a superiores e levar ao conhecimento dos gestores, sem precisar “entregar” ninguém.

Qual foi a última vez que a empresa lhe ofereceu condições de crescimento e aprendizado?

O bom da pesquisa de clima é que ela é uma via de mão dupla: com ela, o funcionário também pode se atentar para os próprios defeitos. Um deles é a acomodação: ora, se a empresa não viabiliza o crescimento, seja em forma de reajuste ou de oportunidades, o que ele está fazendo ali dentro?

Há unidade da equipe em torno dos objetivos?

Trabalho em equipe: essa é a palavra-chave do mundo organizacional de hoje. Se há trabalho em equipe e comprometimento coletivo por uma causa, há possibilidade de sucesso. Caso contrário, é um salve-se quem puder: cada um visa seu próprio umbigo e o fracasso da empresa é iminente.

Agora que ficou por dentro de algumas perguntas essenciais, saiba que é fundamental garantir a confidencialidade dos dados — se os funcionários desconfiarem do sigilo, provavelmente irão mentir, o que inviabiliza toda a pesquisa.

Outro detalhe importante é automatizar a pesquisa para obter resultados precisos e imparciais, com gráficos e estatísticas de fácil compreensão, pois o objetivo da coleta de dados não é delatar esse ou aquele chefe preguiçoso, e sim oferecer subsídios para que o gestor elimine quaisquer entraves para a produtividade dos seus funcionários.

Quer ficar por dentro de mais assuntos como esse? Então curta nossa página no Facebook e não perca nenhuma atualização do blog!